28-11-2011 15:58

seminário | A Viragem Ética da Política e da Arte

Os anos 80 e 90 assistiram àquilo a que podemos chamar uma viragem ética da política, que se traduziu por um crescente interesse pela problemática do «mal» e dos direitos humanos, ao mesmo tempo que a militância política das décadas anteriores perdia intensidade. Para Alain Badiou, esta ideologia ética representa uma nova figura do niilismo cujos efeitos se assemelham ao que ainda hoje se faz sentir: uma consensual resignação ao estado de coisas actual, que aparece como algo de necessário ou como um «mal menor» face aos desastres a que uma vontade política de transformação radical teria conduzido. Jacques Rancière, por seu lado, diagnostica a extensão desta viragem ética ao universo da arte contemporânea, denunciando-a também como sendo aquilo que bloqueia a possibilidade da política e do próprio pensamento.


Neste seminário intensivo propomos reactivar este debate, questionar as transformações que sofreu este sentimento niilista e interrogar esta possível oposição entre ética e política. Isto a partir da leitura conjunta de uma selecção de textos e da análise de exemplos concretos extraídos à arte contemporânea e à actualidade política internacional, focando nomeadamente os discursos assentes numa «indignação» difusa, que representaria o mais recente sintoma desta viragem ética.

 

Organização: UNIPOP

Coordenação: Vanessa Brito e Bruno Peixe Dias

Apoio: «Seu Vicente» Residências Artísticas, c.e.m (centro em movimento), Câmara Municipal de Lisboa


Local: «Seu Vicente» Residências Artísticas (Rua da Boavista, n.º 46 – 1.º, Lisboa – http://www.seuvicenteresidencias.blogspot.com/, localização aqui)


Datas: Dias 28, 29 e 30 de Novembro de 2011, das 18h às 21h

 

A frequência do seminário é livre, mas pede-se aos interessados que efectuem uma inscrição prévia, enviando um e-mail com o nome para cursopcc@gmail.com.

 

Lugares limitados.

No final do seminário será emitido um certificado de frequência.

 

Vanessa Brito é investigadora de pós-doutoramento no Instituto de Filosofia da Linguagem (IFL) da FCSH/UNL. Co-organizou este ano o colóquio internacional «Jacques Rancière – Entre nós e as palavras: a filosofia contra o consenso» e traduziu recentemente para português o seu livro Estética e Política: a Partilha do Sensível (2010), publicado pela Dafne Editora.

 

Bruno Peixe Dias é investigador do Centro de Filosofia da Universidade de Lisboa e da Númena – Centro de Investigação em Ciências Sociais e Humanas. Elaborou uma tese de mestrado sobre Alain Badiou e coordenou, com José Neves, a edição do livro A Política dos Muitos. Povo, Classes e Multidão (2010), publicado pelas Edições Tinta-da-China.

—————

Voltar


Contacto



Agradecemos o envio de propostas de iniciativas, de artigos para a revista Imprópria ou de livros para a edição, bem como qualquer sugestão ou opinião acerca da actividade da Unipop.